ABES

http://www.abes-sp.org.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/495966banner_socio.giflink
http://www.abes-sp.org.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/330350economiaagua.jpglink
http://www.abes-sp.org.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/241326diadesol2015.jpglink
http://www.abes-sp.org.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/514816banner_1.jpglink
http://www.abes-sp.org.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/611994jps080916.jpglink
Home Notícias
Notícias
Grupo de Economia do Saneamento e Soluções Ambientais discute Programa do Uso Racional da Água e Programa de Perdas PDF Imprimir E-mail
Ter, 26 de Julho de 2011 15:52

No dia 12 de julho foi realizada a reunião do Grupo de Economia do Saneamento e Soluções ambientais no salão nobre da Fundação Getúlio Vargas, em São Paulo.


O evento contou com a presença de Dante Ragazzi Pauli, presidente da ABES-SP e assessor da presidência da Sabesp – Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo, representando Dilma Pena, presidente da Sabesp, Gesner Oliveira, professor da FGV e sócio da Geoassociados, Paulo Massato, diretor metropolitano da Sabesp, o vereador Gilberto Natalini, entre outros.


De acordo com Pauli, trazer o tema de reuso de água para debate é muito importante. “O reúso é um tema central e ainda é um desafio, nós buscamos esse equilíbrio”, explica. “Precisamos fazer o uso adequado desse bem finito, principalmente em São Paulo, onde se concentra maior parte da população.”


Durante sua palestra, Massato ressaltou a importância de se pensar em uma engenharia que tenha controle de excesso e escassez dos recursos hídricos por causa das mudanças climáticas, e para isso, ele salientou que é necessário disponibilizar mais recursos. “Atualmente temos 30% do orçamento da diretoria metropolitana que está sendo utilizado para questões de perda. Está sendo pouco”, ressalta.


Outro ponto abordado também durante a apresentação de Massato foi o projeto Aquapolo Ambiental que foi criado pela Sabesp, e pela Foz do Brasil – empresa de engenharia ambiental da Organização Odebrecht. Trata-se de um projeto inovador e sustentável capaz de produzir água de reuso para fins industriais, destinada ao Polo Petroquímico do ABC paulista. “Esse é o quinto maior projeto de água de reuso do mundo”, explica. “Além de ser mais uma oferta para manter equilíbrio entre demanda e disponibilidade.”


Sobre o PURA – Programa de Uso Racional da Água, Massato ressaltou que os resultados são expressivos. “Nos últimos quatro anos e meio conseguimos reduzir o consumo de água em 4,2 m³ por segundo”, explica.


Massato explica que o programa começou a trabalhar com medições de onde se perdia água em uma residência, isso atrelado à uma campanha de conscientização com a população e a mídia. “Falamos com os fabricantes de metais, chuveiros, etc. para que eles também pudessem colaborar conosco para a redução de consumo”, coloca. “A mudança de hábitos nesse aspecto é muito importante. O usuário tem que ter consciência do desperdício.”


Giovanni Palermo, representante da Secretaria da Casa Civil da prefeitura, apresentou a questão das políticas públicas, fundo municipal de saneamento. Ele destaca que até o momento, o governo tem 13 políticas estratégicas de saneamento. Uma delas é o PURAS.


A Secretaria tem como meta a redução de 10% no consumo de água, o que representa 1.2 milhões de reais por mês. “Houve até uma competição para que os alunos de escolas estaduais comprovassem que estavam diminuindo o consumo de água”, ressalta. “Temos meta de reduzir o consumo em 15m³ por mês, que representa uma economia de 474 mil mil reais por mês, equivalente ao consumo de mil famílias por mês.”  De acordo com Giovanni, a meta da secretaria é universalizar o atendimento de água até 2018.


Segundo Massato, o grupo preenche um vazio que havia no setor pois proporciona a discussão desses temas junto à área acadêmica.

 
Confira palestras do I Workshop “Panorama do Setor de Saneamento Para Jovens Profissionais” PDF Imprimir E-mail
Sex, 22 de Julho de 2011 16:29
Com o objetivo de situar os novos profissionais do setor de saneamento no cenário atual foi realizado, no dia 29 de junho de 2011, o I Workshop “Panorama do Setor de Saneamento Para Jovens Profissionais”, promovido pelo grupo JPS – Jovens Profissionais do Saneamento, em conjunto com a ABES-SP – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental - Sessão São Paulo.
O evento reuniu um público formado por estudantes de cursos técnicos, graduação e pós-graduação de diversas universidades, totalizando 260 participantes.

Confira abaixo as palestras:

O Setor Saneamento: Desafios para os “Velhos” e “Jovens” Profissionais - João B. Comparini

Panorama do Saneamento (Água, Esgoto, Drenagem, Resíduos Sólidos) no Mundo e no Brasil - Marcelo Morgado

Cenários para a Universalização do Saneamento no Brasil - Pedro Scazufca

O Saneamento e a Educação Disciplinas Inter Relacionadas Perspectivas de Pós graduação - Wanderley da Silva Paganini

Entidades do Setor - Luiz Roberto Graviana Pladevall

A ABES - Seu Papel e Responsabilidades - Ana Lúcia Brasil

JPS - Programa e Afiliação Beneficios e Vantagens - Peter B. Cheung

Programa JPS na Seção ABES-SP - Jaqueline Aparecida da Rocha

Mercado de Saneamento - Aquapolo Ambiental

Os Desafios da Macro Metrópole e o Papel do Jovem Profissional do Saneamento - Mara Ramos

 
Prêmio ArcelorMittal de Meio Ambiente completa 20 anos PDF Imprimir E-mail
Qua, 20 de Julho de 2011 10:50

Você é capaz de imaginar nosso planeta sem desmatamento e poluição? Em escolas públicas e particulares de 46 municípios da Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo e Santa Catarina, a imaginação e a criatividade serão o ponto de partida para um desafio ainda maior: transformar sonhos em ação. Cerca de 300 mil crianças e adolescentes já se preparam para agir, estimuladas pelo Prêmio ArcelorMittal de Meio Ambiente, que neste ano completa 20 anos com o tema “Ideias para sustentar o mundo”.

Mais do que incentivar a produção de redações e desenhos, o prêmio leva o debate ambiental para a sala de aula, mobilizando educadores a trabalhar questões atuais, ligadas ao meio ambiente, ética e cidadania. Na edição comemorativa dos 20 anos da premiação, o material distribuído aos professores inclui cartilha e DVD com palestra do filósofo e doutor em Educação Mário Sérgio Cortella. O segundo passo é a capacitação desses profissionais, para o desenvolvimento do tema de forma interdisciplinar.

Os estudantes também recebem cartilhas com exercícios lúdicos, unindo aprendizagem e diversão. “O objetivo é construir redes de relacionamento que estimulem o trabalho em equipe e o compromisso das crianças e adolescentes com a sustentabilidade”, ressalta Zulmira Braga, gerente de Educação da Fundação ArcelorMittal Brasil.

Ao final do processo, os estudantes são convidados a participar do concurso. Os alunos do 1º ao 5º ano concorrem com desenhos e os do 6º ao 9º ano, com redações. O prêmio é dividido em três categorias: Comunidade Escolar, Filhos de Empregados e Projeto-Escola. Nas 17 unidades da ArcelorMittal que participam do concurso, serão escolhidos quatro desenhos e quatro redações, que disputarão a etapa corporativa, em novembro. Nessa última fase, os trabalhos serão avaliados por uma comissão julgadora constituída por profissionais ligados às áreas de educação, meio ambiente e artes.

Na etapa corporativa, os vencedores nas categorias Comunidade Escolar e Filhos de Empregados receberão quatro salários mínimos, depositados em caderneta de poupança. Já as escolas ganharão prêmios nos valores de R$ 3,5 mil a R$ 1 mil, que deverão ser aplicados preferencialmente em ações de continuidade do projeto.

Desde 1992, mais de 4,7 milhões de crianças e adolescentes participaram do prêmio, que já abordou temas como aquecimento global, preservação das águas, alimentação saudável, entre outros. Os educadores não participantes do concurso também podem consultar as cartilhas “Ideias para sustentar o mundo”, disponíveis para download no site www.famb.org.br.

 
ABES-SP e Sabesp realizam workshop para debater normas de produtos químicos PDF Imprimir E-mail
Sex, 08 de Julho de 2011 13:57

Como resultado de uma parceria entre a Sabesp e a ABES-SP – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental, foi realizado o “Workshop Qualidade de Produtos Químicos – NBR 15.784 x Lei 8666”, na quinta-feira, 30 de junho de 2011.

O evento teve como objetivo o esclarecimento da norma técnica e a elaboração de uma minuta de especificação técnica para aquisição de produtos químicos utilizados em tratamento de água para consumo humano.

A NBR 15.784:2009, intitulada: “Produtos químicos utilizados no tratamento da água para consumo humano – efeitos à saúde – Requisitos”, que foi publicada em dezembro de 2009, tem como finalidade viabilizar a operacionalização do cumprimento do que estabelece a Portaria MS 518/04  que dispõe sobre a qualidade dos fabricantes de produtos químicos utilizados no tratamento da água. Enquanto a lei 8666 estabelece normas para licitações e contratos da Administração Pública.

A abertura do evento foi realizada por Dante Ragazzi Pauli, presidente da ABES-SP; Maria Cristina Marodin, coordenadora geral da Câmara Temática de Qualidade de Produtos Químicos; e por Luiz Paulo de Almeida, diretor de Sistemas Regionais da Sabesp.

O primeiro painel debateu sobre a busca pela Certificação dos Produtos Químicos para Tratamento de Água no Brasil e foi apresentado por Vasti Ribeiro Facincani, gerente do Departamento de Controle Sanitário e Ambiental da Diretoria de Sistemas Regionais da Sabesp; e por Maria Cristina Marodin.

De acordo com Vasti, além de ser uma ferramenta fundamental para o setor de saneamento, é imprescindível que se tenha familiaridade com o conteúdo da norma, sabendo como utilizá-la na busca por produtos químicos de melhor qualidade e que apresentem maior segurança. “Isso acaba sendo fundamental, pois possibilita que os consumidores de produtos químicos exijam o controle de qualidade do fornecedor”, explica.

O painel “Especificações de Produtos Químicos em Editais de Licitação conforme NBR 15.784: Propostas” foi apresentado por Ellen Prisch, engenheira Química do Laboratório Bioensaios; Paula Violante, engenheira química da Foz do Brasil; e pelo químico do Departamento de Qualificação e Inspeção de Materiais da Diretoria de Gestão Corporativa da Sabesp, Mercedino Filho.

O último painel, “Construção – Crivo Jurídico e Consolidação da Proposta” teve a palestra “Critérios Jurídicos para a incorporação das propostas no processo de licitação”, ministrada pelo advogado Jessé Ferreira Junior.

Ao final dos painéis, o público composto por profissionais da indústria química, de laboratórios de análises e das empresas de abastecimento público, responsáveis por aquisições e controle de qualidade, puderam interagir com as mediadoras Maria Cristina e Vasti, na construção do texto que deve servir de modelo para ser utilizados nos editais de licitação do território nacional, na compra dos produtos químicos.



 
Workshop analisa cenário atual para jovens do setor de saneamento PDF Imprimir E-mail
Sex, 01 de Julho de 2011 14:28

Por Fernanda Faustino

Com o objetivo de situar os novos profissionais do setor de saneamento no cenário atual foi realizado, no dia 29 de junho de 2011, o I Workshop “Panorama do Setor de Saneamento Para Jovens Profissionais”, promovido pelo grupo JPS – Jovens Profissionais do Saneamento, em conjunto com a ABES-SP – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental - Sessão São Paulo.

O evento reuniu um público formado por estudantes de cursos técnicos, graduação e pós-graduação de diversas universidades, totalizando 260 participantes.

Dante Ragazzi Pauli, presidente da ABES-SP, ressaltou a importância do evento para a nova geração de profissionais do setor. “Essa é uma manhã diferente. Ter esse auditório cheio de jovens profissionais é uma alegria muito grande para mim”, salienta.

O presidente colocou a importância da associação nas discussões de decisões importantes para alavancar o setor. “A ABES sempre esteve presente em todas as discussões do saneamento no Brasil. E o setor era muito forte, que exigia mudanças constantemente. Atualmente, carecemos de massa crítica e essa carência precisará ser suprida pelos profissionais que estão entrando agora no mercado. Essa demanda é muito grande”, ressalta.

De acordo com Dante, nesse momento o saneamento no Brasil é de muita mudança, investimento e recursos e que a demanda por profissionais qualificados no setor cresce mais a cada dia. “O que eu espero de vocês, jovens, é que não sejam apenas mais um, mas façam a diferença”, conclui.

A palestra que iniciou o evento foi ministrada por João Batista Comparini, superintendente Regional da Sabesp, em Franca, SP, que abordou os desafios atuais tanto para os profissionais antigos quanto para os que iniciam a carreira agora com base nas responsabilidades, conceitos e legislação. “O setor tem uma abrangência imensa e efetivamente estamos em um momento de carência de profissionais”, explica.

O superintendente ressaltou a importância de oferecer um serviço de boa qualidade com continuidade para todos. “Não posso distribuir um serviço bom para uma região e ruim para a outra. Tem que ser igual para todos. Universalizar o serviço é nossa prioridade, pois a falta de saneamento básico ainda é a principal causa de morte infantil e diarréia”, explica.

Marcelo Morgado, assessor de Meio Ambiente da Sabesp, trouxe aos jovens um panorama de como é feito o saneamento no Brasil e no mundo e ressaltou a importância da troca de informações entre os profissionais antigos e os novos para que as necessidades do setor sejam supridas com eficiência. “Estamos falando de uma dimensão muito grande quando dizemos que metade dos rios do mundo estão degradados ou contaminados”, salienta.

Durante sua palestra, Morgado ressaltou alguns desafios do cenário atual, entre eles: ocupação de mananciais; aquecimento global; enchentes; e a necessidade de mitigar emissões em uma sociedade que está cada vez mais exigente.

Para Pedro Scazufca, assessor da presidência da Sabesp - que ministrou o tema sobre a economia do saneamento, o que investimos no Brasil ainda é pouco se comparado ao grande objetivo que é a universalização do serviço hídrico. “A maioria das capitais brasileiras tem níveis de serviços de esgoto muito baixos”, enfatiza.

Durante sua palestra, ele salientou algumas ações que podem ser tomadas para acelerar a universalização. Entre elas estão: o planejamento macro setorial e regulação eficiente; remuneração adequada para os profissionais do setor; e aumento da eficiência.

Wanderlei da Silva Paganini, professor e superintendente de gestão ambiental na Sabesp, inter-relacionou Saneamento e Educação e trouxe para os jovens a importância de se manter sempre atualizado, estudar e trazer novas experiências para o setor. “O saneamento é uma das poucas atividades que atingem toda a população, pois todo o ser vivo é nosso cliente. Afinal, todos bebem água e utilizam esgoto”, enfatiza. “Os novos profissionais da área não podem se iludir. Hoje ter pós e mestrado é pré-requesito”, observa.

De acordo com Peter Cheung, coordenador nacional do programa JPS, atualmente tem-se um ambiente institucional favorável. “Passamos 20 anos quase sem investimentos no setor e após a legislação proposta em 2007, foram estabelecidas uma série de diretrizes. Esse evento ressalta a importância do saneamento e principalmente os desafios que esses novos profissionais terão”, aponta.

O engenheiro Luiz Roberto Gravina Pladevall, diretor da APECS - Associação Paulista de Empresas de Consultoria e Serviços em Saneamento e Meio Ambiente, expôs para o conhecimento dos jovens uma lista de associações e entidades que dão suporte para a atividade sanitária. Entre elas: a própria APECS; a ABCON - Associação Brasileira das Concessionárias Privadas dos Serviços Públicos de Água e Esgoto; a AESBE - Associação das Empresas de Saneamento Básico Estaduais; a AIDIS – Associação Interamericana de Engenharia Sanitária e Ambiental; entre outras.

Para Pladevall, é imprescindível a mobilização dos jovens profissionais do setor para que o objetivo da universalização seja plenamente atingido até 2030. “Isso terá impacto em toda a sociedade, pois a cada real investido no saneamento, economiza-se quatro na saúde”, observa.

Ana Lucia Brasil, coordenadora da Câmara Técnica de Saneamento e Saúde em Comunidades Isoladas da ABES-SP,  falou sobre os trabalhos da Associação que está presente nas discussões dos Comitês de Bacias, no Fórum Lixo e Cidadania de São Paulo, participando do Simpósio Ítalo Brasileiro e Luso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental, fornecendo cursos de capacitação, além de promover a cada dois anos o “Congresso de Engenharia Sanitária e Ambiental”, o maior do país no setor, que está em sua 26ª edição e este ano será realizado em Porto Alegre.

Para Ana, é fundamental que os novos profissionais fomentem discussões no setor. “Antes de sermos profissionais, somos cidadãos e nosso papel é trabalhar pelas questões do nosso país”, salienta.

Jaqueline Aparecida da Rocha, integrante do comitê organizador do programa JPS, apresentou as ações realizadas pelo grupo JPS da sessão São Paulo. Entre elas, está o concurso cultural de frases. Para participar, basta responder a frase: “Os jovens profissionais do saneamento devem associar-se à ABES porque...”, o autor da melhor frase – levando em conta os quesitos originalidade e criatividade – ganhará a passagem e estada para participar do evento “26º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental”.

Representando Guilherme Pamplona Paschoal, diretor regional da Odebrecht de São Paulo, Marcos Asseburg, diretor de operações, falou sobre as oportunidades de negócios do mercado de saneamento. “Eu diria que hoje vocês, envolvidos com o setor de saneamento, têm um mercado praticamente ilimitado”, analisa.

Representando Paulo Massato Yoshimoto, diretor metropolitano da Sabesp, Mara Ramos, assessora da diretoria metropolitana, encerrou o evento expondo os desafios da macro metrópole e o papel do jovem profissional dentro desse contexto.

A assessora ressalta que uma das principais características do mercado, atualmente, é a competitividade e a globalização do mercado. “Hoje o setor está regulado e muito competitivo”, finaliza.

Segundo Carlos Alberto Rosito, ex-presidente da AIDIS, esse evento superou as expectativas. “Estou muito feliz de ver esse auditório lotado de jovens profissionais. Isso mostra a força do setor e o comprometimento da nova geração”, conclui.

 
JPS realiza seminário para integrar novos profissionais da área de saneamento PDF Imprimir E-mail
Qua, 22 de Junho de 2011 16:42
No dia 29 de junho de 2011 será realizado o I Workshop “Panorama do Setor de Saneamento para Jovens Profissionais”, promovido pelo JPS – Jovens Profissionais do Saneamento, em conjunto com a ABES-SP – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental seção São Paulo. O evento tem como principal objetivo a integração dos profissionais iniciantes com os que já estão no mercado, proporcionando maior acesso a informações sobre oportunidade de trabalhos e eventos da instituição.
 
De acordo com Jaqueline Aparecida da Rocha, integrante do comitê organizador do programa JPS, esse evento proporcionará aos participantes informações importantes para o planejamento de sua carreira, como: panorama do setor de saneamento no Brasil e no Mundo, seus desafios e oportunidades e a importância das entidades para o fortalecimento deste setor.“Ainda, no evento serão identificados os jovens profissionais do saneamento no Estado de São Paulo e as suas necessidades, o que nos dará condições para, dentro do programa, estabelecer ações para apoiar o desenvolvimento de suas carreiras” explica.
Entre as ações desenvolvidas pelo grupo JPS em São Paulo está o “Concurso Cultural Melhores Frases”. Para participar, é só responder a frase: “Os jovens profissionais do saneamento devem associar-se à ABES porque...”, o autor da melhor frase – levando em conta os quesitos originalidade e criatividade – ganhará a passagem e estadia para participar do evento“26º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental”, realizado de 25 a 29 de setembro de 2011 em Porto Alegre, RS.
Para Leonard Camargo Freire de Almeida, membro do comitê organizador do programa JPS, o mercado necessita cada vez mais de jovens preparados para encarar os novos desafios. Esse evento é uma grande oportunidade para criar um interesse maior do publico jovem com o saneamento nacional e com isso as grandes corporações, no futuro, terão grandes lideres e profissionais defendendo o setor de saneamento que tem impacto direto na qualidade vida da população”, salienta.
 
O workshop abordará os temas: desafios da macro metrópole e o papel do jovem profissional; mercado de saneamento – oportunidades de negócios; JPS – programa e afiliação: benefícios e vantagens; A ABES – papel da associação e responsabilidades; saneamento e educação, disciplinas inter-relacionadas e perspectivas de pós graduação; entre outros temas.
 
Segundo Carlos Alberto Rosito, ex-presidente da AIDIS – Associação Interamericana de Engenharia Sanitária e Ambiental, o programa também tem como objetivo estender a rede de relacionamentos para os profissionais já experientes dos diversos segmentos do saneamento brasileiro: projetistas, construtores, operadores, financiadores e acadêmicos. “Recordo bem meu primeiro Congresso em 1969 no Recife: entre outros profissionais pude estabelecer um relacionamento inicial com grandes nomes do saneamento como José Martiniano de Azevedo Neto, Max Lottar Hess e José Roberto do Rego Monteiro que depois se solidificaram nos anos e Congressos seguintes e foram muito relevantes na continuidade de minha carreira profissional”, ressalta.
Sobre o Programa JPS

O JPS é um programa de desenvolvimento contínuo com objetivo de despertar habilidades e lideranças entre os jovens que começam a atuar na área do saneamento ambiental, para satisfazer as necessidades presentes e futuras do setor.
Dentre as metas do programa, que teve início em 2010, estão: criar uma rede de relacionamento entre jovens profissionais brasileiros e permitir que essa rede esteja inserida em programas internacionais de jovens profissionais, apoiar o desenvolvimento da carreira desses jovens profissionais, permitindo seu engajamento com a associação e com os consultores sêniors, e auxiliar nos estudos técnicos (forças tarefa) do setor.
O programa é aberto para os jovens que queiram fazer parte desta iniciativa. Para informações sobre como participar entre em contato pelo email: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
 
Presidente da ABES-SP participa de Encontro Técnico promovido pela AIDIS PDF Imprimir E-mail
Sex, 17 de Junho de 2011 16:26

No dia 15 de junho de 2011 a AIDIS – Associação Interamericana de Engenharia em parceria com a Universidade da Água e com o apoio da Sabesp, promoveu o encontro técnico de alto nível: “Proteção de Mananciais”.

Durante o evento foram realizadas sete palestras com temas como: escassez de recursos hídricos; reciclagem de lixo; disposição de resíduos sólidos; poluição industrial e difusa; desassoreamento; urbanização dos fundos de vale; controle do uso e ocupação do solo; recuperação da mata ciliar; cobrança pelo uso da água; conscientização; educação ambiental e conflitos com a população.

Todas as temáticas tiveram como objetivo contribuir tanto para o cumprimento do compromisso de universalização da água quanto para as metas de “Desenvolvimento do Milênio” – que prevê, como uma das propostas, diminuir pela metade o percentual da população que em 1990 não tinha acesso à água potável, esgotamento sanitário e tratamento de água servidas e à coleta e gestão adequada dos resíduos sólidos.

Segundo Gilmar Altamirano, presidente da Universidade da Água – primeira ONG do Brasil que alertou para a falta de água no mundo, os problemas que foram abordados nas palestras estão presentes em todo o mundo. “Não há distinção entre países do primeiro e terceiro mundo, o grande desafio é gerenciar tudo isso em consonância com todos os segmentos da sociedade”, explica. “A recuperação dos mananciais só é possível com a interação da união, governos estaduais, prefeituras, entidades representativas, terceiro setor e população, e muita educação ambiental e comunicação”, ressalta.

Durante o evento, que teve como moderador de um dos debates o jornalista Heródoto Barbeiro, estiveram presentes, também, os palestrantes: Amauri Polacchi – representando o secretário de Estado de Saneamento e Recursos Hídricos; Dante Ragazzi Pauli, representando Dilma Pena, diretora-presidente da Sabesp, Rafael Dautant, presidente da AIDIS; Edson Ortega, secretário de Segurança Urbana da Prefeitura de São Paulo; entre outros.

 
Cozinhas industriais adotam foco em sustentabilidade e influenciam empresas PDF Imprimir E-mail
Qua, 15 de Junho de 2011 17:26

A “onda verde” está influenciando empresas, conscientizando consumidores e transformando o mercado. Seguindo essa tendência, as cozinhas exercem papel fundamental na contribuição com a preservação dor recursos naturais, reutilização de materiais e reciclagem de resíduos. A Cozil, empresa do setor de equipamentos para cozinhas industriais, por exemplo, desenvolveu produtos que reduzem o impacto ambiental e estimulam consumidores a serem sustentáveis.

Na opinião de Nilton Cunha, responsável pelo Marketing da Cozil, o ambiente das cozinhas profissionais deve ser estudado de forma holística. “Da chegada do alimento até a retirada do lixo, tudo deve ser pensado para que seja possível aproveitar ao máximo nossos recursos, minimizando os impactos ao meio ambiente”, explica.

Para especialistas, assim como em vários outros setores, como o automobilístico, por exemplo, que já adotam algumas ações voltadas à sustentabilidade, as cozinhas industriais também têm caminhado para essa realidade. A construção e administração de um restaurante ecologicamente correto devem atender a alguns requisitos.

Foi pensando nisso que a Cozil desenvolveu equipamentos que reduzem o impacto ambiental, como a linha de Refrigeração Cold Line. Os refrigeradores e freezers desse grupo são equipados com fluído R-134a (gás ecológico HFC – Hidro Flúor Carbono), inofensivos à camada de ozônio.

Outro exemplo de preocupação com os recursos naturais é o equipamento lançado recentemente pela empresa, a Wok Cozil. O aparelho cozinha, assa, frita, grelha e refoga, e uma de suas características é que proporciona economia de água. Para uma mesma produção de alimentos, a Wok gasta ¼ de água em relação ao processo convencional de limpeza e higienização de panelas, já que a área de cocção é integrada, o que permite dispensar a lavagem tradicional.

Para Cunha, um restaurante autossustentável já é motivo de reflexão. “É essencial que toda empresa pense em como diminuir o impacto ambiental. Muito deve ser feito, mas o primeiro passo já foi dado. É fundamental que todos entendam a importância desse ato, e também se insiram no conceito de ‘cozinha verde’”, contextualiza.

Fonte: Revista Meio Ambiente Industrial

 
ABES Nacional completa 45 anos amanhã PDF Imprimir E-mail
Ter, 14 de Junho de 2011 16:09

A ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental, a entidade, mais antiga no setor de saneamento do Brasil, completa amanhã, dia 16 de junho, 45 anos de existência.


Presente no país desde meados da década de 60, a associação começou quando um grupo de engenheiros sanitaristas do estado do Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas gerais e Bahia, iniciou a mobilização para formar a entidade que tem como objetivo contribuir, de forma efetiva, para que as questões de saneamento sejam tratadas como prioridade, tanto pelo governo, quando pela sociedade.


Além de atuar como porta-voz no setor, participando de discussões, apresentando propostas e soluções para pontos que devem ser priorizados na área de saneamento, a ABES tem como objetivo, também, a formação e a capacitação de pessoas que contribuam para a discussão desses pontos e colaborem para a fomentação de conhecimento do setor no Brasil.


Cassilda Teixeira Leite, presidente da ABES, ressalta a importância da associação para a sociedade: “A ABES é a principal entidade do setor e a mais abrangente. Ela não só coloca em debate a questão do saneamento na ordem do dia, como também interliga a sociedade municipal, federal e estadual”, explica.


Segundo ela, nesses 45 anos de existência, a história da ABES é a história do saneamento no Brasil. “Desde os anos 60 quando ela surgiu, para ampliar as questões no setor ela foi muito precursora tendo uma participação ativa em todas as questões ligadas ao saneamento”, enfatiza.


A celebração da data é mais do uma simples comemoração, é a prova de que sonhos e ideais de um país melhor para todos é possível.

 
Enfil premiará pesquisa brasileira em tecnologia ambiental PDF Imprimir E-mail
Seg, 13 de Junho de 2011 12:08

A Enfil Controle Ambiental, maior empresa brasileira de soluções ambientais, firmou parceria com a UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina para organizar o Prêmio ENFIL de Tecnologia Ambiental, criado para incentivar o desenvolvimento local de técnicas e processos voltados à proteção do meio ambiente em operações industriais.

Um júri formado por profissionais do setor e professores da universidade escolherá os três melhores trabalhos acadêmicos voltados para o desenvolvimento de tecnologias ambientais. Além da premiação, seus autores poderão apresentar suas idéias e soluções no VII Workshop de Reuso de Água na Indústria, que será realizado nos dias 10 e 11 de novembro, em Florianópolis, SC. O evento é uma promoção da FEESC - Fundação de Ensino de Engenharia em Santa Catarina, que apóia a UFSC em seus projetos, O regulamento do prêmio estará disponível no site www.feesc.org.br/floripaworkshop a partir de junho de 2011.

“Como empresa brasileira que atua há 17 anos com soluções ambientais para indústrias, nos sentimos motivados a incentivar o desenvolvimento de tecnologias por profissionais que atuam no país”, comenta Franco Tarabini Jr., sócio e diretor da Enfil.

“Com a parceria da Enfil, a premiação sobe para um novo patamar, ampliando ainda mais o seu escopo e garantindo um maior reconhecimento ao trabalho científico brasileiro”, comenta o Professor José Carlos Cunha Petrus, professor do Departamento de Engenharia química e Engenharia de alimentos da Universidade Federal de Santa Catarina e coordenador do Prêmio ENFIL de Tecnologia Ambiental.

Fonte: RMAI - Revista Meio Ambiente Industrial

 
«InícioAnterior721722723724725726727728729730PróximoFim»

Página 727 de 733

Eventos

«   Agosto 2018   »
dstqqss
   1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
 
Veja mais eventos

Receba nossos informativos

Rua Eugênio de Medeiros, 242 - 6º andar - Pinheiros - 05425-900
São Paulo - SP
Mapa de localização

Tel / Fax: 11 3814 1872 e 11 2729 5510
Fale conosco

ABES-SP - Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental